Dormir bem para emagrecer: os 7 benefícios

Quanto maior for o peso corporal, mais influência isso terá na forma como dormimos e na qualidade do sono. Conhece já todas as consequências que o  peso em excesso pode ter nas tuas noites e na tua vida.

 

banner blog post dormir bem emagrecer

 

O sono e peso corporal estão intimamente relacionados. Existem estudos que demonstram que noites mal dormidas favorecem o ganho de peso, analisando os efeitos negativos da obesidade excesso de peso na qualidade do sono.

As pessoas que dormem menos têm maior possibilidade de se tornarem obesas, visto que isso aumenta o apetite e a fome.

Por isso é que é importante ter em conta estas questões para garantir uma boa qualidade de vida. 

 

Como é que o Peso afeta o Sono?

Ressonar

As pessoas com excesso de peso e obesidade apresentam alterações nas estruturas corporais, como o aumento da circunferência do pescoço e colocação inadequada da língua. E estas características favorecem o ronco. 

As vias aéreas ficam comprometidas devido à pressão da língua preenchida por excesso de gordura, bem como pelo tamanho aumentado do abdómen, reduzindo o volume dos pulmões e a capacidade de respirar adequadamente.

O ronco é o primeiro sintoma que indica que existe obstrução da garganta.

 

Apneia do Sono

À medida que as vias aéreas ficam mais congestionadas, o fluxo de ar pode ser completamente interrompido, havendo pausas na respiração. Quando isso começa a ser recorrente,  dá-se a Apneia Obstrutiva do Sono.

A maioria das pessoas que sofre desta doença são obesas ou têm excesso de peso. O aumento de 10% no peso corporal faz com que o risco e a gravidade da Apneia Obstrutiva do Sono subam cerca de 32%! Intrigante, não é?

Tanto a obesidade como a Apneia Obstrutiva do Sono podem levar ao desenvolvimento de doenças crónicas como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e diabetes.

A Apneia Obstrutiva do Sono de grau leve duplica o risco de hipertensão arterial, sendo que os casos moderados ou graves podem triplicá-lo.

 

Hipoventilação

Alguns casos de obstrução das vias aéreas relacionados com a obesidade podem ser graves.

Na respiração normal, inspiramos oxigénio e expiramos dióxido de carbono e essa obstrução pode levar à retenção de dióxido de carbono pelo nosso corpo, dando-se a hipoventilação - diminuição das trocas gasosas essenciais à respiração.

Devido à diminuição da capacidade respiratória, algumas pessoas obesas não conseguem inspirar oxigénio suficiente, nem efetuar a eliminação do dióxido de carbono. Isso aumenta o risco de complicações cardiovasculares graves, bem como o risco de morte.

 

Sono Excessivo Durante o Dia

O sono diurno em excesso pode estar ligado a vários distúrbios de sono relacionados com a obesidade, como, por exemplo, a Apneia do Sono que já referimos acima.

Outro exemplo de associação entre obesidade e o sono durante o dia são as parassonias — comportamentos anormais de sono. Uma dessas condições é o distúrbio alimentar causado pelo sono, em que se come compulsivamente. E é claro que quando isto ocorre, há maior dificuldade em emagrecer.

 

Perder Peso Melhora o Sono

Um estudo da Universidade de Johns Hopkins concluiu que perder peso, principalmente na zona abdominal, pode ajudar a dormir melhor. Durante 6 meses, os investigadores acompanharam pacientes obesos que acabaram por perder peso de uma média de 7 quilos de massa corporal e 15% de gordura abdominal.

Antes da mudança de peso, o estudo identificou vários problemas de sono: Apneia Obstrutiva do Sono, insónia, cansaço, sono agitado, sonolência excessiva e toma de sedativos para ajudar a dormir. 

No fim do estudo, após o emagrecimento dos pacientes, foi verificada uma melhoria de cerca de 20% na saúde geral e na qualidade do sono. Esta é mais uma prova de que o sono influencia o emagrecimento.

 

Como é que o Sono afeta o Peso?

Se não tivermos uma boa noite de sono, um sono de qualidade e reparador,  isso vai dificultar, e muito, a perda de peso, podendo surgir problemas como stress, ansiedade e enxaqueca.

Desequilíbrio Hormonal

A grelina e a leptina são as hormonas que regulam o apetite, a fome e a saciedade. A sua falta ou excesso altera a vontade de comer, a escolha do que comer e a capacidade de parar de comer.

A desregulação do funcionamento destas hormonas está presente nas pessoas obesas ou com excesso de peso.

Quem dorme menos de 6 horas por noite apresenta um desequilíbrio na secreção dessas substâncias. Como já vimos, dormir poucas horas aumenta a probabilidade de ter quilos a mais.

 

Ter um sono adequado implica:

  • produzir menos grelina, responsável por aumentar o apetite
  • aumentar os níveis de leptina, que nos dará a sensação de saciedade 

 

Contudo, quando dormimos mal, é isto que acontece:

  • a produção de grelina aumenta, assim como a nossa vontade de comer 
  • a produção da hormona do crescimento diminui, o que impede a perda de gordura
  • a produção de melatonina fica extremamente afetada, pois é ela que nos ajuda a dormir melhor
  • resistência à insulina, bastante prejudicial para o bom funcionamento do organismo

 

Tendência para Ingerir Mais Calorias

O desequilíbrio hormonal entre a grelina e a leptina, leva a que haja maior tendência para a obesidade. Além de ter mais apetite, quem dorme menos prefere consumir alimentos mais calóricos e ricos em hidratos de carbono, como os doces e outros produtos processados.

 

Mais Tempo Disponível para Comer

A alteração hormonal que resulta da privação de sono pode levar a que, ao estar mais tempo acordado, haja maior oportunidade para a ingestão alimentar, já que, como sabemos, as horas em que dormimos são um período de jejum. 

Assim, no tempo em que não conseguimos dormir, há espaço para comer mais e, consequentemente, acumular gordura corporal.

 

Menor Gasto Calórico

A privação de sono também pode levar ao cansaço e à falta de disposição. Essa falta de motivação reduz as hipóteses de realizarmos o nível de atividade física necessário para gastar as calorias adicionais ingeridas.

  

Dormir Bem Emagrece: os 7 Benefícios

Uma pessoa saudável gasta, em média, cerca de 80 calorias por hora de sono. Isso mostra-nos que  dormir, por si só, não emagrece. É preciso, sobretudo, dormir bem!

Em suma, apresentamos-te em seguida as vantagens de dormir bem no processo de emagrecimento:

  • Diminuição da produção de grelina - redução da fome
  • Aumento da produção de leptina - aumento da saciedade
  • Estimulação da hormona do crescimento - renovação do sistema celular, manutenção da massa magra e diminuição da gordura
  • Produção de melatonina - dormir melhor e diminuição da acumulação de gordura
  • Diminuição do stress - redução do açúcar no sangue e aumento da queima de gordura
  • Aumento da disposição - maior energia, atividade e consequente gasto de calorias
  • Menor vontade de comer e de ingerir alimentos menos saudáveis

 

Para tirar partido destes benefícios, não é suficiente dormir a quantidade de horas necessárias, mas, sim, ter um sono de qualidade. 

Assim, é importante, respeitar o horário de sono, evitar trocar a noite pelo dia, dormir num ambiente silencioso e com pouca luz, e evitar tomar bebidas estimulantes depois das 17 horas.

Como já vimos neste artigo, fazer uma sesta 30 minutos após o almoço também ajuda a melhorar a disposição e o sono à noite.

 

O sono de qualidade pode ser um excelente aliado para conseguir emagrecer e na saúde em geral. Dormir bem é viver bem, em todos os aspetos!

 

 

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos

pt